Blog Sertão Poeta, Anuncie!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

FURIBA E PINTO DO MONTEIRO

UMA CERTA VEZ FURIBA DISSE A PINTO:

PINTO DEIXE CANTAR
BOTE UMA MERCEARIA
DEPOIS COLOQUE O MEU NOME
EM TODA MERCADORIA
QUE AI O SENHOR VAI VER
COMO AUMENTA A FREGUESIA

AI PINTO RETRUCOU:

EM QUALQUER MERCADORIA
SE UM RATO VER TEU NOME
MESMO ELE VINDO
COM QUINZE DIAS DE FOME
VER O PÃO MIJA NO QUEIJO
PASSA POR CIMA E NÃO COME

DESPEDIDA DE SUZANE

ELA VEIO DA FRANÇA PARAR NESSE PAÍS
COM DESTINO PERNAMBUCO NOSSO ESTADO
NO CECOR VEIO DEIXAR O SEU LEGADO
NOSSA EQUIPE COM TUDO ESTÁ FELIZ
SEI QUE AGORA TALVEZ VOLTE A PARÍS
MAS FICA AQUI NOSSO RECONHECIMENTO
QUE MOSTROU ATRAVÉZ DO SEU TALENTO
ENRIQUECENDO A NOSSA INSTITUIÇÃO
CONSTRUIMOS JUNTOS NOSSA ORGANIZAÇÃO
FOI VOCÊ UM IMPORTANTE INSTRUMENTO

SEI QUE LOGO ESTARÁS DE PARTIDA
LHE DESEJAMOS TOTAL FELICIDADE
IRÁS DEIXAR ENTRE NÓS MUITA SAUDADE
E SAUDADE É COISA QUE NÃO FINDA
MUITAS CONQUISTAS E SUCESSOS NA VIDA
ESSAS SÃO AS NOSSAS FELICITAÇÕES
OBRIGADO PELAS SUAS CONTRIBUIÇÕES
MESMO PARTINDO SUA OBRA VAI FICAR
PRA ONDE FOR SEJA QUAL FOR O LUGAR
VAI SER GUARDADA EM NOSSOS CORAÇÕES

MUITO OBRIGADO PELA SUA AMIZADE
PELO RESPEITO E TOTAL CONSIDERAÇÃO
IRÁS DEIXAR ENTRE NÓS UMA LIÇÃO
DE UMA GRANDE PROFISSIONAL DE VERDADE
VOCÊ TEM UMA GRANDE IMPARCIALIDADE
QUE NEM TODO PROFISSIONAL CONSEGUE TER
POIS SUZANE UMA PESSOA COMO VOCÊ
NÃO SE ENCONTRA EM QUALQUER LUGAR AI
FAÇA TUDO VÁ A LUTA SEM DESISTIR
QUE A VOCÊ SE FAZ POR MERECER

QUERO AQUI LHE PEDIR O MEU PERDÃO
SE A RIMA NÃO FICOU BEM ELABORADA
POIS EU SOU SÓ UM POETA DE CALÇADA
MAS O VERSO FOI FEITO DE CORAÇÃO
QUERO AQUI DEIXAR MINHA ESTIMAÇÃO
E A AMIZADE QUE EU TENHO A VOCÊ
SE POR ACASO UM DIA QUIZER REVER
TODA ESSA GALERA ANIMADA
DÊ UM PULO AQUI EM SERRA TALHADA
QUE A GENTE VAI ABRAÇAR VOCÊ

(Autor:Mario Almeida)Naturalidade Sitio Papagaio - São José do Egito-PE
Serra Talhada 24 de Setembro de 2010.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Consumo de produtos orgânicos

Preste atenção meu povo
Que agora eu vou falar
Numa mudança que houve
No Habito Alimentar
É o consumo de orgânico
Esse sim é um avanço
Pra saúde melhorar

É sabido por todos nós
Do doenceiro tremendo
Que por esse mundo a fora
Vem sempre acontecendo
Pois pode acreditar
Eu até posso apostar.
Que tem a ver com veneno

O veneno colocado
Nas frutas e hortaliças
Para elas crescerem muito
E também ficar bonitas
Mas sem a preocupação
E nem vendo a dimensão
Do risco pra nossas vidas

Daí surgiu uma idéia
De um produto diferente
Sem uso de agrotóxico
Pra ninguém ficar doente
Pois eu digo nessa hora
Só deve ter sido obra
De alguém inteligente

Por isso a população
Sentiu a grande mudança
E começou pra valer
Dar toda a confiança
A um produto saudoso
E também muito gostoso
Pra Jovem adulto e criança

Todo produto orgânico
É bem diferenciado
Tem qualidade nutricional
E um sabor refinado
Por isso eu recomendo
Mesmo que fique devendo
Não compre produto errado

A procura por orgânicos
No mundo esta aumentando
Essa uma grade prova
Que essa história ta mudando
Graças a nosso senhor
E a todo difusor
Tem alguém se preocupando

Se preocupando com a saúde
Que é o nosso maior bem
E se não for bem cuidada
Podemos ir pra o alem
Antes de chegar o tempo
Que Deus deu consentimento
A eu e a você também

Se você ta preocupado
E quer seguir essa lógica
Procure se informar
Nas feiras agroecológicas
E junto aos agricultores
Que eles são promotores
Dessa obra ecológica

Pode procurar também
As ONGs que estão presente
Junto com os agricultores
Num trabalho competente
Histórias que mudam vidas
E vidas desinibidas
Mudando a história da gente

Alface, coentro, quiabo,
Pimentão e tomate cereja
São produtos agroecologicos
Bem posto em sua mesa
Parece uma ilusão
Mais saiba que eles são
Orgânicos com certeza

Os índios já consumiam
A muitos anos atrais
Os produtos da floresta
Que eram todos naturais
Esse é um grande exemplo
Que nós fomos esquecendo
Com progresso que se faz

Meu compadre e comadre
Vamos junto acreditar
E consumir os orgânicos
Para vida melhorar
Sem ter medo da demanda
E da grande propaganda
De quem quer nos enganar

Consumindo os orgânicos
Estamos sendo inteligente
E assumido compromisso
Com nós e o meio ambiente
Que de jeito agradável
E de forma sustentável
Produzimos consciente

Consciente porque sabe
Do que pode acontecer
Com esse nosso planeta
Se continuar a crescer
O uso de agrotóxicos
Do centro até os trópicos
O planeta vai morrer

O veneno se acumula
Lá no nosso organismo
Por um período de tempo
Ali ficando escondido
E só vem se apresentar
Quando se dá para notar
Que tudo está perdido

Já o produto orgânico
Tem sido reconhecido
Nos quatro cantos do mundo
Começa a ser difundido
Pelo povo que acredita
E por nada se intimida
Pois veneno é prejuízo

Na hora de ir pra mesa
Pense antes de comer
E escolha os orgânicos
Que é saúde pra valer
E em coisa bonita de mais
Bote sempre um pé atrais
Pra não se arrepender

Não gasta muito dinheiro
Isso eu digo consciente
Pois para sua a saúde
Todo gasto é pertinente
Do que vale economizar
Se isso pode custar
A vida de muita gente

De um jeito especial
Vamos levar esta prosa
Para todas as pessoas
Que vivem em nossa volta
Que pra todos se unir
E juntos poder construir
Um pedaço dessa história

História de um costume
Que começou a mudar
Com pessoas preocupadas
Em sua saúde melhorar
Melhorando o sistema
E apostando no tema
Segurança alimentar

A segurança que vem
Ao orgânico consumir
Pensando em sua saúde
Que vai lhe retribuir
Com mais uns anos de vida
Que a vida é bem vivida
Se assim soubermos agir

E ai fica a mensagem
Pra toda essa gente boa
Que seja do semi-árido
Ou da terra da garoa
Porque em qualquer lugar
Precisamos se cuidar
Pois saúde é coisa boa

E eu aqui me disperso
Fazendo uma saudação
Dizendo que fazer verso
Não é minha profissão
Mais pra levar a idéia
A essa grande platéia
Aceitei essa missão

(autor: Manoel Barbosa)Naturalidade Flores-PE

Pernambuco: Terra das abelhas indígenas

Existe um lugar com diversas abelhas
E esse lugar é Pernambuco
Você pode até me questionar
Ou dizer que sou maluco
Não sou lelé da cuca
Nem tão pouco sou caduco

Então vou lhe provar agora
Que do litoral ao sertão
Existe uma grande variedade de abelhas
Coloridas ou pretas, sociais ou não
Da zona da mata ao agreste
Pernambuco em toda sua extensão

Conhecidas dos índios
Amigas dos caboclos do mato
O seu mel é bom
E isso é um fato
Voam em toda flor
Da aroeira à unha de gato

Vou só te dar uma idéia
De tanta abelha que tem
São muitas mesmo
Se duvidar é mais de cem
Muitas espécies de abelhas
Pense numa história do trem!

Abelhas bem miúdas
Escondidas por aí
São bastante sociais
São o breu, a abelha branca e o jatí
Com mel medicinal
Pra muitas doenças vai servir

Sendo preto, grande ou pequeno
Existe também alaranjado mangangá
Vai na flor da canafístula
Mas adora a flor do maracujá
E das flores amarelas
Leva muito é saburá

Eu posso falar de mais algumas
Brabo, canudo ou manso e mundurí
Mandaçaia, cupira e irapuá
Não vou mais repetir
Essas abelhas estão dando o que falar
Se não vamos ter que discutir

Mas essas que vou lhe apresentar
São o mirim e abelha-limão
Essa ultima ataca outras abelhas
Assim num dá não!
Ela pode servir pra alguma coisa
Mas pode fazer confusão

Pregando no olho de animais
Aparece a abelha remela
Remela de cachorro nome feio
Algum sujeito deu pra ela
Mas é verdade meu amigo
Dessa abelha preta e amarela

Nome mais feio ainda
Tenho até vergonha de falar
Mas é o que eu vou dizer
Eita nome de lascar
É a chamada cú-de-vaca
Faz a sua colméia no gravatá

Se for mexer com a próxima abelha
A pressa é a inimiga da perfeição
E se for tirar seu mel no mato
Não fale o nome dessa abelha não
E a abelha “vamos-embora”
Quem bebe seu mel vira cagão

Ser ferroado é ruim
Mas ser queimado é pior
Existem abelhas com arsenal químico
Queimando que nem potó
Agora o trio parada é dura
Tataíra, caga-fogo e sanharó

Abelhas do mundo subterrâneo
Vivendo como formigas
Em colméias de baixo da terra
Sempre evitando brigas
Produzindo o doce mel
Podendo ser nossas amigas

Vivendo no chão e de nome engraçado
Que lembra o nome cumbuca
Fazem um canudinho na terra
É a raríssima abelha mumbuca
Onde dentro de sua colméia
A vida é uma verdadeira muvuca

Rara como a mumbuca
Só a uruçu-da-terra ou do chão
Existente só na Chapada do Araripe
Nas quebradas do alto sertão
Nas fronteiras com Ceará
Por aquela região

Uma vez falei do mangangá
E agora falo de novo
Ela faz seu ninho num tronco
E lá põe um ovo
E um mangangá novo vai nascendo
E quando cresce faz medo ao povo

Das abelhas brasileiras
A mais conhecida é a uruçu
Boa produtora de mel
Há grandes criatórios em Igarassu
Seu mel bastante valorizado
É bem vendido na região sul

Pra não sair esquecendo delas
Temos as moças branca e as jandaíras
Junto com a mosquito e a jataí
São abelhas bastante conhecidas
Criadas há muito tempo
Com reputações merecidas

É pólen, é mel, é própolis,
Geléia real e polinização
Tudo isso em pró da colméia
A pequena e vasta nação
De insetos voadores pequeninos
Pernambucanas de coração

(Autor:Iran Jr)Naturalidade Recife-PE
(20/05/2009)