Blog Sertão Poeta, Anuncie!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Vanete Almeida - Para sempre viva


Por Caio Meneses

À Vanete Almeida, mulher guerreira que lutou toda a vida por um mundo melhor, 
um sertão mais preservado e digno e pelo respeito à sociedade camponesa, 
meus agradecimentos em forma de verso, 
por tê-la encontrado na estrada da vida e conquistado para a minha luta ensinamentos que vieram de sua luz.

Para sempre viva

Vanete da vida da água e do chão,
da luta, do sonho e da felicidade,
deixou para a gente a grande lição
de enfrentarmos tudo pela liberdade.

Por destino ou sorte, nasceu no sertão,
onde descobriu a desigualdade
e saiu pra luta na convicção
da transformação da sociedade.

O seu corpo hoje, anda desligado,
não mais representa o que no passado
foi Vanete Almeida, serena e ativa.

Mas o seu espírito está tão presente,
que essa coragem que sobe na gente
é a sua força para sempre viva.


(Caio Meneses)

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Perda: Morre no Recife Vanete Almeida

Vanete Almeida será cremada nesta segunda-feira no Cemitério Morada da Paz


Perda »Morre no Recife Vanete Almeida
Publicação: 09/09/2012 11:54 Atualização: 09/09/2012 20:47

Morreu na manhã deste domingo (9), no Recife, Vanete Almeida, líder feminista e representante das trabalhadoras rurais de Pernambuco. Natural de Betânia, no Sertão do estado, ela faleceu aos 69 anos no Hospital Albert Sabin, onde estava internada na batalha contra um câncer de ovário.

Vanete Almeida está sendo velada no Cemitério Morada da Paz, na Capela 3, em Paulista. Por volta das 11h, desta segunda-feira (10), acontece uma cerimônia religiosa presidida pelo bispo da Diocese de Afogados, Dom Egídio Bisol. Logo em seguida, às 12h, será realizado o ritual de cremação. As cinzas do corpo serão levadas para Serra Talhada, onde no próximo sábado (15) será realizada uma solenidade para amigos, admiradores e trabalhadores rurais.
Maria Vanete Almeida nasceu em 1943 e, durante a década de 1980, atuou pela inserção feminina no meio sindical. Inspirou o livro “Ser Mulher num Mundo de Homens” (Cornélia Parisius, Ed. SACTED/DED). Presidiu o Centro de Educação Comunitária Rural, no município de Serra Talhada (PE), integrou o Conselho Nacional de Políticas para Mulheres de 1996 a 2003 e, em 2005, foi indicada pela ONG suíça Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo ao Prêmio Nobel. A partir de 1996 tornou-se coordenadora internacional da Rede de Mulheres Rurais da América Latina e do Caribe, que ajudou a fundar.

fonte: Diário de Pernambuco

Dia 23 de Agosto de 2011, quando eu ainda trabalhava no CECOR (Centro de Educação Comunitária Rural) na Qual ela era Presidente, fiz uma homenagem para a mesma em versos, pois desde que tive o privilégio de trabalhar com essa mulher singular, impar, me tornei seu fã, por seu carisma, sua dedicação com os pequenos, seja do campo ou da cidade, seja rico ou pobre seja, negro, branco, pardo, índio,etc. sua história de vida é um livro aberto está na memória de que a conheceu pessoalmente, que não a conheceu pessoalmente e gostaria de conhecer é só pesquisar no google "Vanete Almeida" que vai passar a conhecer.




Então eu Fiz essa homenagem pra ela que resume mesmo que um pouquinho de sua história.


Lições de Vanete Almeida

Dona Vanete Almeida
Mulher humilde e guerreira
Foi na década de oitenta
Na luta uma pioneira
Na coragem um desafio
Da conquista verdadeira
01
Sempre esteve preocupada
Com as questões sociais
Igualdade de gênero
Um dos seus ideais
A voz e vez da mulher
Nos movimentos rurais
02
Sempre se incomodava
 
Com algo que percebia
Quando nas reuniões
Quase sem autonomia
As mulheres pouco participavam
Das discussões que havia
03
Mas nunca se acomodou
Nem desistiu de lutar
Convocou a mulherada
Pra juntas se organizar
Pouco a pouco, uma a uma
Começaram a se juntar
04
Mas a segunda conquista
Considerada importante
A vez e voz das mulheres
Se torna menos distante
Perdem o medo de se expressar
Foi um fator ponderante
05
Mas não demorou perceber
Que a luta era semelhante
A de outras mulheres
Em outras fronteiras distantes
Assim criaram a rede LAC
Mais uma conquista importante
06
Essa rede LAC veio
Pra fomentar a organização
Das mulheres Latinas
E do Caribe ao Sertão
Onde tem mulheres pobres
Vanete estendeu a mão
07
Já viajou mundo a fora
Além de nossas fronteiras
Pra juntar a sua força
Com outras forças guerreiras
Já são mais de 20 mil
As novas vozes roceiras
08
Nicarágua, Costa Rica
Chile, México e Panamá
Honduras, Colômbia e Argentina
Equador também passou por lá
Esses são alguns paises
Que ela tem muito a “contá”
 
09
Muito simples e justa
Esse é o seu legado
Humilde e companheira
Como tem sempre mostrado
Por isso não vai faltar
Gente boa do seu lado
10
Foi destaque em um livro
Como guerreira da paz
E como uma das brasileiras
Que pela cultura fez mais
Fazer o que vanete fez
Nem presidente Dilma faz
11
São mais de trinta anos
De sua luta e história
Não descrevi dez por cento
Do que é sua memória
Mas seu povo se orgulha
Das suas lutas e glórias
12
Vanete eu aqui finalizo
Foi o que consegui dizer
Mas sei que tem muito mais
Pra contar sobre você
Guerreira é seu nome
E o sobrenome é vencer!
13

Autor: Lucimario Almeida
Serra Talhada, Pernambuco
23 de Agosto de 2011


POETIZE 2013 CONCURSO NACIONAL NOVOS POETAS


LEIA O EDITAL
EDITAL

REGULAMENTO
Do tema
Art. 1º – A VIVARA EDITORA por meio deste edital abre inscrições para o Concurso Nacional, Novos Poetas, Prêmio Poetize 2013”.
Parágrafo único – O tema é livre.
Das inscrições
Art. 2º – Podem participar do Concurso todos os brasileiros, público em geral, de qualquer região do país.
§ 1º – Vetada a participação de membros da diretoria da VIVARA EDITORA.
§ 2º – Vetada a participação de membros da COMISSÃO JULGADORA.
§ 3º – Podem participar brasileiros natos, ou naturalizados brasileiros, maiores de 16 anos, com texto em língua portuguesa.
Art. 3º – As inscrições podem ser feitas pelo site, www.premiopoetize.com.br no período de, 01 de setembro a 05 de outubro de 2012.
Art. 4º – Cada participante pode se inscrever com até 02 (dois) poemas. Os poemas devem ser inéditos, ou seja, poesias que ainda não foram publicadas em livro.
§ 1º – Os poemas devem ser enviados via internet, e devidamente identificados com nome, endereço residencial completo, CPF, telefone, e-mail e título(s) do(s) poema(s),  obedecendo aos seguintes critérios:
a) Os poemas devem ser digitados em editor de texto eletrônico (Word, Open Office,  Star Office etc.);
b) Fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12;
c) Cada poema não deve exceder o limite de 02 (duas) laudas no tamanho A4;


§ 2º – As inscrições são gratuitas.
§ 3º – Ao se inscreverem, todos os candidatos aceitarão automaticamente todas as cláusulas e condições estabelecidas no presente regulamento.
Da premiação
Art. 5º  Entrega das medalhas e publicação em livro dos poemas classificados.
§ 1º – Os participantes não poderão acumular as premiações, ou seja, só poderá ser premiado apenas um poema de cada participante.
§ 2º – Serão 250 (duzentos e cinqüenta) poemas classificados.
§ 3º – Publicação de livro com as  poesias classificadas, com edição de 5.000 (cinco mil) exemplares.
§ 4º – Medalhas Prêmio Poetize 2013, para os 3 primeiros classificados.
§ 5º – Medalha de Ouro, (em ouro 18k), Gravada, Prêmio Poetize 2013, para o 1º  colocado.
§ 6º – Medalha de Prata, Gravada, Prêmio Poetize 2013, para o 2º colocado.
§ 7º – Medalha de Bronze, Gravada, Prêmio Poetize 2013, para o 3º colocado.
§ 8º – Inserção de destaque no livro para os 10 primeiros classificados.
Da comissão julgadora
Art. 6º – A Comissão Julgadora, será escolhida pela Comissão de Organização do Concurso e será composta por 03 (três) membros com amplo conhecimento e experiência em Literatura.
Parágrafo único – A Comissão Julgadora terá autonomia no julgamento, que será regido pelos princípios da originalidade e linguagem poética.
Do resultado
Art. 7º – O resultado do Concurso será divulgado no dia 20 de outubro pelo site: www.premiopoetize.com.br
Do Pagamento das parcelas e Remessa dos livros
 Art. 8º - Cada autor classificado arcará com a compra de 10 exemplares do livroConcurso Nacional, Novos Poetas, Prêmio Poetize 2013, pelo custo de duas parcelas,  de R$ 165,00 (cento e sessenta e cinco reais).
Art. 9º - As duas parcelas deverão ser pagas via boleto bancário nos dias 05 de novembro e 05 de dezembro de 2012.
Art. 10º - Em caso de inadimplência, a poesia classificada poderá não ser publicada.
Art. 11º - Os livros e medalhas serão entregues no endereço informado na inscrição, até o dia 31 de dezembro de 2012.
Das disposições finais
Art. 12º – Os casos omissos serão decididos, em comum acordo, pela Comissão Julgadora e pela Comissão de Organização do Concurso.
Art. 13º – A Editora VIVARA detém todos os direitos de Publicação e Distribuição da obra.
Art. 14º – Do julgamento apresentado pela Comissão Julgadora, quanto à qualidade dos poemas selecionados, não caberá qualquer recurso, ficando esta medida adstrita às condições extrínsecas do concurso, dispostas nas cláusulas deste Regulamento, que será julgado pela Comissão de Organização do Concurso.