Blog Sertão Poeta, Anuncie!

segunda-feira, 20 de março de 2017

SE A ÁGUA É FONTE DE VIDA NÃO DEIXE A VIDA MORRER - DEDÉ MONTEIRO

Foto: Ievgen Sosnytskyi / Shutterstock.com


Já que não nos é possível
Barrar as águas dos rios
Para, durante os estios,
Matar a sede terrível;
Se o sol vai baixar o nível
Da água que faz viver,
É necessário aprender
A não fazê-la ofendida.
Se a água é fonte de vida,
Não deixe a vida morrer.

Nesta terra abençoada,
Embora incompreendida,
Mesmo sem ser respeitada,
A água é fonte de vida.
Fonte de vida e de paz,
Porque sua falta traz
Desespero e desprazer.
Faça o que possível for,
Trate a água com amor,
Não deixe a vida morrer.

Pra quem possui consciência,
Nada traz mais desconforto
Do que ver um rio morto
No florescer da existência.
O rio a pedir clemência
Vendo a “ferida” crescer,
E os doutores do poder
Sem cuidar dessa ferida.
Se a água é fonte de vida,
Não deixe a vida morrer.

Recife, o Capibaribe,
Em São Paulo, o Tietê:
Fossas que o descaso exibe...
E as providências, cadê?...
Se a responsabilidade
Não renascer de verdade,
Pra coisa ser revertida,
Como uma espécie que afronta,
A morte vai tomar conta,
Matando a Fonte da Vida.


Em lugar de carro-pipa
Que tanto nos faz sofrer,
Poços, cisternas, açudes...
Água pra sobreviver.
A sagrada natureza
Exige a nossa defesa
Pra vida ser revivida.
Façamos, pois, por favor,
Uma corrente de amor
Em prol da Fonte da Vida!
Dedé Monteiro - Tabira/2004

ÀGUA, SEIVA DA VIDA FONTE DE RENOVAÇÃO - DIA MUNDIAL DA ÁGUA

IMAGEM ARQUIVO SITE http://www.folhadomeio.com.br


ÀGUA PURA CRISTALINA
DESCE PELO LEITO MANSO
CASCATEIA E FAZ REMANSO
HORA EM CURVA, HORA EM LINHA
DEPOIS SEGUE MANSINHA
FILTRADA PARA O PORÃO
COMPRINDO SUA MISSÃO
DEIXANDO A TERRA CURTIDA
ÀGUA, SEIVA DA VIDA
FONTE DE RENOVAÇÃO

PENA QUE O HOMEM TEM
MODIFICADO O SEU PERCURSO
SE ULTILIZADO DE RECURSO
PRA DESTRUIR ESSE BEM
POIS SEM ÀGUA NINGUÉM
NÃO PASSA DE GERAÇÃO
PODE SE VIVER SEM PÃO
SEM ÀGUA NINGUÉM DUVIDA
ÀGUA, SEIVA DA VIDA
FONTE DE RENOVAÇÃO

ONDE ANTES ELA CORRIA
TRANQUILA E TRANSPARENTE
HOJE JÁ É DIFERENTE
NÃO SE VER MAIS O QUE VIA
JÁ NÃO TEM MAIS SERVENTIA
DE TANTA POLUIÇÃO
ESCURA COMO UM TIÇÃO
TODA FONTE ESTÁ PERDIDA
ÀGUA, SEIVA DA VIDA
FONTE DE RENOVAÇÃO

É PRECISO PROTEGER
OS NOSSOS MANANCIAIS
PODENDO SER TARDE DE MAIS
E ÀGUA POTÁVEL NÃO VAI TER
SE O QUADRO NÃO REVERTER
E MUDAR A ESTA SITUAÇÃO
ADEUS VIDA NO SERTÃO
SE A CAUSA NÃO FOR VENCIDA
ÀGUA, SEIVA DA VIDA
FONTE DE RENOVAÇÃO.

 

PRA SE TER A GARANTIA

DE ÁGUA NO SUBSOLO

PRECISA CUIDAR DO COLO

DA TERRA MÃE COM VALIA

CUIDAR DELA TODO DIA

É NOSSA OBRIGAÇÃO

PROPOCIONAR UMA AÇÃO

COM FORÇA DESMEDIDA

POIS, ÁGUA É SEIVA DA VIDA.

E FONTE DE RENOVAÇÃO

 

NÃO TIRE A NOSSA MATA

POIS A ÁGUA ELA SEGURA

NÃO TORNE A ÁGUA IMPURA

QUE DEPOIS ELA TE MALTRATA

QUEM DESSE BEM MAIOR TRATA

MERECIA UMA PREMIAÇÃO

POR FAZER A CONSERVAÇÃO

E MANTENDO-A PROTEGIDA

ÁGUA, SEIVA DA VIDA.

FONTE DE RENOVAÇÃO

 

SEJA UMA MÃO PROTETORA

FAZENDO MAIS QUE SUA PARTE

NÃO PENSE QUE LÁ DE MARTE

PRA CÁ VAI TER UMA ADUTORA

PRA UMA VIDA DURADOURA

ESCOLHA A ÚNICA OPÇÃO

SEJA VOCÊ UM GUARDIÃO

DESSE BEM QUE O CONVIDA

ÁGUA, SEIVA DA VIDA

FONTE DE RENOVAÇÃO

 

CUIDE BEM DA ÁGUA AGORA

NÃO DEIXE ELA FALTAR

COMECE A ECONOMIZAR

ANTES DE ELA IR EMBORA

NÃO DEIXE PRA ULTIMA HORA

PONHA EM PRATICA SUA AÇÃO

NÃO DEIXE A SITUAÇÃO

FICAR FORA DE MEDIDA

POIS ÁGUA É SEIVA DA VIDA

E FONTE DE RENOVAÇÃO

 

Autor: Lucimario Almeida, Triunfo 22 de Março de 2013
Em comemoração dia mundial da àgua

Esta poesia está no Blog www.sertaopoeta.blogspot.com.br


quinta-feira, 9 de março de 2017

Mulher, sublime ser... Poeta Aldo Almeida...

Imagem: do Site https://pixabay.com

No palco da criação
Nosso pai celestial 
Em um toque especial
Pôs em prática uma feição
Desde os tempos de Adão
Se tornou linda e singela
Fez a mulher flor mais bela
Jamais pra ser maltratada
Mas sim, pra ser bem cuidada
Tal qual fosse uma Cinderela

De charme exuberante
Cada uma, o seu tem
De tudo ela se detém
A beleza é seu semblante
De postura irradiante
De olhar conquistador
Dona de todo valor
Que Deus lhes deu por direito
Por isso tem meu respeito
Nos quatro cantos que for
De brado forte, guerreira
Batalhadoras do lar
Em qualquer lugar que vá
Sempre vai ser a primeira
Divina, tu sois parteira
Dos filhos que tu gerou
Nesse mundo que estou
Por onde for ou vier
Parabéns pra tu MULHER
Pelo que tu conquistou
Cabra macho de verdade
Sabe honrar uma mulher
Lhes dá tudo que quiser
Fortalece a amizade
Vive por uma igualdade
Mas que ela sempre esteja
Te entregando de bandeja
Amor carinho e afeto
E que debaixo de um teto
Seja tu o que ela deseja
Deixo aqui o meu abraço
Ao dia Internacional
Que pra mulher é essencial
Fortalecendo o seu laço
Nesses versos que vos faço
Falo só um pedacinho
Do admirável carinho
Que nas palavras se somem
Parabéns pra todo "Homem"
Que tem uma no caminho...
Feliz dia da mulher...👏👏
Do Poeta Aldo Almeida

quarta-feira, 8 de março de 2017

A mulher é uma candura - Dia da Mulher


Imagem: https://mobile.twitter.com/cabecademulher_

Morena é maravilha
E chama minha atenção
A loira não fica atrás
Também é uma tentação
A loira e a morena
Roubam direito a cena
É duas flor de açucena
Que tem muita perfeição

Não importa cor da pele
Loira, negra ou morena.
Sei, são todas especiais.
Gorda, magra ou pequena.
A mulher é abençoada
Nasceu para ser amada
Para ser idolatrada
Centena vezes centena
Seja branca ou mulata
Ela tem muita doçura
Mulher é pra ser tratada
Feito santa nas altura
Pra quê tanta rejeição
Abra mais seu coração
Diga com muita emoção
Você é minha candura
E para finalizar
Digo com a voz de Cristo
Que foi filho de Maria
Todo mundo sabe disto
A mulher tem muito brilho
Pois ela gera um filho
Agüenta dor empecilho
É coisa de Deus bem visto.
Poeta Diosmam Avelino.

PARABÉNS PARA AS MULHERES! (NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER)

Foto divulgação - Belas Mensagens


Mulher, obra prima da criação
que Deus fez com primor e com carinho;
um grande presente para Adão
- flor perfumada, sem ter espinho.

Pra abençoar o nosso caminho
a fez o Senhor, com perfeição;
fazendo do lar o mais doce ninho,
enchendo de amor nosso coração!

Vida que dar força para a lida
e vida que gera uma outra vida,
companheira que anima nossa fé...

A beleza em forma de pessoa,
namorada e "mãe" - que coisa boa!
Parabéns para o dia da mulher!...
Antonio Costta

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Cordel Sobre o Mormo - Doença Infectocontagiosa

Imagem da Net

Infectocontagiosa
E quase sempre letal
Doença do MORMO faz
Um estrago no curral
Piogranulomatosa
É doença poderosa
Na maioria fatal

Como sinal principal
Que ele já adoece
São úlceras ou linfangite
Perda de peso acontece
Com diarreia, edemas.
Que podem ser mais extremas
A febre alta aparece

A bactéria merece
Ser sempre mais estudada
Como catarro de burro
No Pernambuco é chamada
Aos equinos vem matando
Cura não vem encontrando
E esta sendo espalhada

É caracterizada
Por lesões respiratórias
Também por lesões linfáticas
Cutâneas inflamatórias
Podem ser agudas, crônicas.
De forma a ser anacrônicas
No decorrer das histórias

O MORMO tem trajetórias
Logo na Primeira Guerra
Dizem que foi maior surto
Da doença e não encerra
Desta terra da Europa
O MORMO matou a tropa
De equinos desta terra

Ainda durante a Guerra
Também foi analisado
Que a bactéria foi
Usada neste passado
Quatro países na lógica
Como arma biológica
Contra equinos tem usado

 MORMO é considerado
Endêmico neste Nordeste
Em quase todos estados
É alarmante esta peste
Os casos só têm subido
É o que tem percebido
Isto vem sendo inconteste

 Para que o MORMO empeste
Tem dado atribuição
Aos animais para esportes
Em grande circulação
Animais neste momento
Para o entretenimento
E para reprodução

O meio de infecção
Principal é digestiva
Por comer contaminados
Água pode ser passiva
Via cutânea acontece
Respiratória aparece
De forma bem corrosiva

Sendo bastante agressiva
Por secreções é mantida
A fonte de infecções
Que no pasto é inserida
Contamina os vegetais
O ar, a água os locais.
E por lá é ingerida

Trata-se tirando a vida
Já que não tem tratamento
É necessário com calma
Limpar todo equipamento
Desinfetar o local
Com o produto ideal
Para não ressurgimento

E para deslocamento
Dos animais indo embora
O controle é rigoroso
Buscando esta melhora
Para mudar este estado
E não ter infectado
Levando o MORMO lá fora

Analisando isto agora
Sobre casos em humanos
No século 20 já teve
Falo isso sem enganos
Levando vários a morte
E para mudar a sorte
Já esta mudando os planos

 Esta mudança de planos
É porque querem fazer
Vacina para humanos
Já tentam desenvolver
Para regiões endêmicas
E em fazes epidêmicas
Nenhum humano morrer.

Autor: José Nilton (Poeta Divino)
De São José do Egito - PE
Pagina do Poeta no Facebook: https://www.facebook.com/josenilton.soaressilva?fref=ts



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Poeta Ciro Filó

Cai a noite, se espalha um véu escuro
Inebria poetas e boêmios
Cada drink lhes servem como prêmios
Ofuscando seus traumas obscuros
Em ensaios poéticos prematuros
Se embriaga e pra lua de presente
Oferece o mais puro do repente
Entristece no fim dessa noitada
Todo dia o sol mata a madrugada
Toda tarde vai preso novamente
No silêncio noturno a vida para
Pra quem dorme qual bela adormecida
Pra quem curte essa noite é outra vida
E quem vive, noutro mundo se depara
Boemia hoje em dia é coisa rara
Mas o gozo é de um jeito diferente
Os sussurros que a noite trás pra gente
Travam tudo no fim dessa jornada
Todo dia o sol mata a madrugada
Toda tarde vai preso novamente
Todo dia o sol mata a madrugada
Assassino inconteste dos amantes
Aos poetas e loucos delirantes
Dá castigos no início da alvorada
Os viventes da noite em revoada
Se escondem cruzando o seu batente
Mas a tarde eles vibram de contente
Pela força da lei da natureza
O juiz pune o sol com tal firmeza
E toda tarde lhe prende novamente
Ciro Filó
Mote: Manoel Filó
Estrofes: Ciro Filó


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Alguns Símbolos do Sertão - Poeta Raimundo Nonato

quadro-o-vaqueiro-nordestino-sertao-seca


Alguns símbolos do sertão
Raimundo Nonato
Curral chiqueiro de vara
Burro jegue e cacimbão
Café torrado no caco
Milho pilado em pilão
Eu acho lindas essas coisas
Que são símbolos do sertão
Capinadeira e boi mano
Canjica angu mungunzá
Pirão pamonha e manzape
Fojo de pegar preá
O lajedo eu acho chique
Mandacaru xiquexique
E do juazeiro juá
Ferro de engomar a brasa
E banco de aroeira
Canga cangalha e gibão
Queimar tijolo em caieira
Alem de ser tradição
O sertão só é sertão
Tendo isso a vida inteira
Espingarda soca, soca.
Bate bucha e bacamarte
Machado que lasca lenha
Facão que ao osso parte
Faca na mão do valente
Faz parte da nossa gente
A culta e nossa arte
Uma casinha de taipa
Outra de alvenaria
E o vento Aracati
À noite a gente aprecia
Coisas do nosso sertão
Quando escrevo uma canção
Boto em minha poesia
Cunha de por em enxada
Prato e panela de barro
Um pote de água fria
Palha pra fazer cigarro
Com carro fora da pista
O boi não é motorista
Mais dirige bem seu carro
Querosene jacaré
Lamparina e candeeiro
E a cadeira de coura
Serve até pro zabumbeiro
Se não tiver um triangulo
Ajudar o sanfoneiro
Chapéu de palha e de couro
Fumo de rolo e tabaco
Rapadura é nosso doce
E frigideira é o caco
Mesmo estando no magote
E a cantiga do capote
Nunca passa de tô fraco
Vaqueiro cuida do gado
E agricultor da roça
O poeta na viola
Decanta a cultura nossa
Um tem dedos calejados
Outro tem braços pesados
E outro tem a mão grossa

São três heróis do sertão
O agricultor roceiro
Gado vaqueiro e cavalo
E o poeta violeiro
Simples e inteligentes
São três heróis residentes
No nordeste brasileiro

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Poeta José Nilton (Poeta Divino) - HAJA PERGUNTA NO AR, PRA QUEM SOUBER RESPONDER

Arquivo da Internet


Por que tanta violência
Se o melhor é a paz?
Por que o povo não faz
 Limpeza na consciência?
Por que é que a ciência
Não vê de Deus o poder?
Por que Jesus seu saber
Ensinava sem cobrar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

 Para que o preconceito
Se na morte é igualdade?
Por que o campo e cidade
Não se vê com mais respeito?
Como é que um sujeito
Não saiba se conhecer?
Como alguém pode ver
Se recusando enxergar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

 Como enxergar o belo
Com tantos males no mundo?
O dia, mês e segundo.
Que não terá mais duelo?
Quando eu faço um castelo
De amor e com prazer?
Sem medo de perecer
Nem de ladrão carregar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

Por que Deus com sua bondade
Nos deixou os mandamentos?
Para que os sofrimentos
Se não fizer caridade?
Por que a felicidade
Não há quem possa vender?
Por que alguém quer viver
E outros suicidar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

Por que nossa educação
Esta tão desmantelada?
Jovens brigando por nada
E tanta competição?
Alunos com depressão
Não podem compreender?
Aprendem que pra vencer
Tem que todos derrubar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

Por que o homem de bem
Não se vê em todo canto?
Por que se fazer de santo
Se de santo nada tem?
E por que o povo vem
Valorizar só o TER?
Como esquecem o SER
Esquecendo-se de amar?
HAJA PERGUNTA NO AR
PRA QUEM SOUBER RESPONDER

Mote: ??????
Glosa: José Nilton (Poeta Divino)

São José do Egito - PE

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Poetisa Rafaela Dantas

Foto Arquivo Pessoa Rafaela Dantas

Um poeta me fez sentir saudade
Me pegou bem de jeito com teu jeito
Construiu a morada no meu peito,
Mas partiu pra morar n'outra cidade
Só não sei se há reciprocidade. 
Pois não sei se ele sabe do que sinto
Eu confesso é verdade, pois não minto
Que o seu jeito me fez se apaixonar
Volte, venha poeta pra ficar
Pois meu peito de amor está faminto.
-Rafaela Dantas

As lembranças que trago na memória 
Nada foi nem é capaz de apagar 
Vivo hoje habitando em outro lar
Mas eu conto pra todos minha história 
Foi traçado na minha trajetória 
De nascer no sertão, o mais amado.
Já andei a cavalo e tangi gado 
E já tive um cachorro bom de caça
"Não tem nada no mundo que me faça
Esquecer do lugar que fui criado."
Mote: Marcondes Tavares.
Glosa: Rafaela Dantas

Tão distante assim eu sem te ver
Sempre finda meu dia com saudade
Tá tão longe assim minha metade
Já tentei e não da pra esquecer
Sem você é difícil de viver
Com você tudo fica mais perfeito
Ao seu lado pra tudo encontro jeito
É somente você que me completa.
"Sem você sou metade de um poeta 
Procurando a metade do meu peito."
Mote: Ramon Medeiros
Glosa: Rafaela Dantas

Sou a eterna aprendiz
Ele o eterno poeta
Eu o faço companhia
E ele, o meu ser completa 
No campo da poesia
Nós somos um só atleta.

-Rafaela Dantas

O meu passado valeu
Porem foco no presente,
Mas se você hoje sente 
Não sei se já percebeu.
Meu coração te esqueceu
E meu amor acabou
O que sentia findou 
E comigo tá tudo "massa"
"Nessa vida tudo passa 
E você pra mim passou."
Mote: Juciana Miguel 
Glosa: Rafaela Dantas

Se o passado voltou pro seu presente 
Meu presente já ficou no passado 
Eu sonhei com você bem do meu lado 
E você preferiu viver ausente.
Eu pensei este homem é diferente 
Mas você decidiu não me querer 
Preferiu outro alguém para viver 
Nossa história de amor ficou pra trás 
"Eu não posso querer voltar atrás 
De um amor que matei pra não morrer."
Mote: Pedro Torres
Glosa: Rafaela Dantas

Eu sofri por você durante meses
E você não ligou, ficou feliz
Depois de tanto tempo você diz
Que sentiu minha falta tantas vezes.
Teve planos comigo, porem esses,
Você mesmo deixou só na vontade.
Já não sei se és dono da metade,
Ou se a minha metade te contém 
Depois de tanto tempo você vem
Me dizendo que sofre de saudade.
-Rafaela Dantas

Foi com o tempo preciso decidir
Esquecer quem me quiz para querer
Um alguém do meu lado pra viver
E no meu coração vir presidir
Já não posso na vida me iludir
Com palavras de amor que você diz
Vou voltar pra viver e ser feliz
Pois você não passou de loteria
"Eu deixei de querer quem me queria
Pra sofrer por alguem que nao me quiz"

Glosa: Rafaela Dantas 
Mote: Welton Melo

Poetisa Girlaide Galindo


Passarinhos acordam festejando
Pela chuva molhando nossa terra
Lindo verde que enfeita toda serra
Deixa linda a paisagem alegrando
Todo aquele que seguia chorando
Implorando por chuva em oração.
Quando ela chegou com o trovão
Revelou o poder de cada prece
"Sertanejo abre os braços e agradece
Pelas chuvas no solo do sertão".
Glosa: Girlaide Galindo
Mote: Matheus Aguillar

Eu lutei por alguém pra ser feliz
Iludida pensando no amor
Com o tempo passei a sentir dor
E notei que vivia infeliz
Nessa vida sofrer eu nunca quis
Mas as vezes esqueço e deixo perto
A ilusão do meu sonho tão incerto
Que me faz só seguir sempre sonhando
"Outra vez eu saí me machucando
De uma história de amor que não deu certo"

Encontrei na casinha abandonada
Um pedaço de pano bem velhinho
Que mainha coava cafezinho
Para todos nas tardes animada.
A chaleira do lado empoeirada
Relembrou meu passado de alegria
Eu brincava enquanto o café fervia
E à tardinha tomava a comer pão.
A saudade apertou meu coração,
Quando vi o terreiro que eu corria.