Blog Sertão Poeta, Anuncie!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Poetisa Rafaela Dantas



Um poeta me fez sentir saudade
Me pegou bem de jeito com teu jeito
Construiu a morada no meu peito,
Mas partiu pra morar n'outra cidade
Só não sei se há reciprocidade. 
Pois não sei se ele sabe do que sinto
Eu confesso é verdade, pois não minto
Que o seu jeito me fez se apaixonar
Volte, venha poeta pra ficar
Pois meu peito de amor está faminto.
-Rafaela Dantas

As lembranças que trago na memória 
Nada foi nem é capaz de apagar 
Vivo hoje habitando em outro lar
Mas eu conto pra todos minha história 
Foi traçado na minha trajetória 
De nascer no sertão, o mais amado.
Já andei a cavalo e tangi gado 
E já tive um cachorro bom de caça
"Não tem nada no mundo que me faça
Esquecer do lugar que fui criado."
Mote: Marcondes Tavares.
Glosa: Rafaela Dantas

Tão distante assim eu sem te ver
Sempre finda meu dia com saudade
Tá tão longe assim minha metade
Já tentei e não da pra esquecer
Sem você é difícil de viver
Com você tudo fica mais perfeito
Ao seu lado pra tudo encontro jeito
É somente você que me completa.
"Sem você sou metade de um poeta 
Procurando a metade do meu peito."
Mote: Ramon Medeiros
Glosa: Rafaela Dantas

Sou a eterna aprendiz
Ele o eterno poeta
Eu o faço companhia
E ele, o meu ser completa 
No campo da poesia
Nós somos um só atleta.

-Rafaela Dantas

O meu passado valeu
Porem foco no presente,
Mas se você hoje sente 
Não sei se já percebeu.
Meu coração te esqueceu
E meu amor acabou
O que sentia findou 
E comigo tá tudo "massa"
"Nessa vida tudo passa 
E você pra mim passou."
Mote: Juciana Miguel 
Glosa: Rafaela Dantas

Se o passado voltou pro seu presente 
Meu presente já ficou no passado 
Eu sonhei com você bem do meu lado 
E você preferiu viver ausente.
Eu pensei este homem é diferente 
Mas você decidiu não me querer 
Preferiu outro alguém para viver 
Nossa história de amor ficou pra trás 
"Eu não posso querer voltar atrás 
De um amor que matei pra não morrer."
Mote: Pedro Torres
Glosa: Rafaela Dantas

Eu sofri por você durante meses
E você não ligou, ficou feliz
Depois de tanto tempo você diz
Que sentiu minha falta tantas vezes.
Teve planos comigo, porem esses,
Você mesmo deixou só na vontade.
Já não sei se és dono da metade,
Ou se a minha metade te contém 
Depois de tanto tempo você vem
Me dizendo que sofre de saudade.
-Rafaela Dantas

Foi com o tempo preciso decidir
Esquecer quem me quiz para querer
Um alguém do meu lado pra viver
E no meu coração vir presidir
Já não posso na vida me iludir
Com palavras de amor que você diz
Vou voltar pra viver e ser feliz
Pois você não passou de loteria
"Eu deixei de querer quem me queria
Pra sofrer por alguem que nao me quiz"

Glosa: Rafaela Dantas 
Mote: Welton Melo

Poetisa Girlaide Galindo


Passarinhos acordam festejando
Pela chuva molhando nossa terra
Lindo verde que enfeita toda serra
Deixa linda a paisagem alegrando
Todo aquele que seguia chorando
Implorando por chuva em oração.
Quando ela chegou com o trovão
Revelou o poder de cada prece
"Sertanejo abre os braços e agradece
Pelas chuvas no solo do sertão".
Glosa: Girlaide Galindo
Mote: Matheus Aguillar

Eu lutei por alguém pra ser feliz
Iludida pensando no amor
Com o tempo passei a sentir dor
E notei que vivia infeliz
Nessa vida sofrer eu nunca quis
Mas as vezes esqueço e deixo perto
A ilusão do meu sonho tão incerto
Que me faz só seguir sempre sonhando
"Outra vez eu saí me machucando
De uma história de amor que não deu certo"

Encontrei na casinha abandonada
Um pedaço de pano bem velhinho
Que mainha coava cafezinho
Para todos nas tardes animada.
A chaleira do lado empoeirada
Relembrou meu passado de alegria
Eu brincava enquanto o café fervia
E à tardinha tomava a comer pão.
A saudade apertou meu coração,
Quando vi o terreiro que eu corria.

Poetisa Girlaide Galindo



Encontrei um amor perfeito
Não permito que outro "amor"
Roube de mim o sossego
E ao meu peito traga dor
O amor que encontrei
Foi na cruz onde avistei
Jesus Cristo o Salvador

Girlaide Galindo

#Evangelizar #Poesia #TudoPorJesus
#DeusEmMinhaVida
Evangelizando através da poesia

https://www.facebook.com/GirlaideLili/

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Divulgada programação da tradicional Festa de Louro 2017 em São José do Egito (PE)

O Instituto Lourival Batista – A Casa do Repente, em São José do Egito, sertão pernambucano, divulgou a programação da Festa de Louro (antes chamada Festa de Rei). Durante 3 dias (4 a 6 de janeiro de 2017) os apreciadores de poesia, música de qualidade, cinema e debates, entre outros, terão a oportunidade de acompanhar mais essa homenagem a Louro do Pajeú – O Rei dos Trocadilhos.

Nesta edição, que lembra os 102 anos de nascimento de Louro, também se exaltará o centenário de nascimento do poeta Zezé Lulu. Entre as atrações, além dos artistas da terra, quem subirá ao palco será o renomado Spok Quinteto. O polo principal da Festa de Louro 2017 é a Rua Domingos Siqueira, no Centro, onde o palco deve ser instalado.
 Confira a programação:
 QUARTA 04
Local: João Macambira
10h Infantil Decripolou Totepou, com Odília Nunes
15h Lançamento do Livro Amigos do Tirol – Encontro de histórias do asfalto com a sabedoria do Sertão, de Fernando Mousinho e outros, com Fernando Mousinho
15h30 Mesa Debate – Zezé Lulu, com Zezé Neto, Fernando Lulu e Antônio José de Lima.
Local: Igreja Matriz de São José
19h Missa do Cantador, celebrada pelo Pe. Luisinho, com os repentistas Valdir Teles e Diomedes Mariano
Local: Instituto Lourival Batista
20h30 Cine Louro, em homenagem a Severina Branca
– Filmes: Vale dos Poetas, da Página 21; Maria, de Carol Correia; O Silêncio da Noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras, de Petrônio Lorena.
Local: Bodega Job Patriota
22h30 Maviael Melo
23h Petrônio e as Criaturas
0h Rodrigo Marinho e MPB Xote
 QUINTA 05
João Macambira
9h A poesia O corpo A rua, oficina de declamação com Gleison Luiz Nascimento
14h Lançamento do livro Religiosidade Popular – França e Pernambuco: Diálogos, expressões e conexões, de Silvério Pessoa
15h Lançamento do Livro Pífanos do Sertão, mapeamento e pesquisa sobre as bandas de pífanos dos sertões do Pajeú, Moxotó e Central de Pernambuco, da Página 21, com Amaro Filho e Cacá Malaquias.
Bodega Job Patriota
16h Banda de Pífanos de Riacho do Meio
17h Coração de Poeta
Palco Zá Marinho
19h Bia Marinho, Val Patriota e Tonfil
20h Qual Foi (Homenagem a Carlinhos Veras)
21h Vozes e Versos
22h Mambembe
23h Luizinho de Serra
0h Em Canto e Poesia
1h Spok Quinteto
SEXTA 06
Bodega Job Patriota
12h Baião de Dois
13h Cantoria com Diomedes Mariano e Severino Feitosa e Afonso Pequeno e Lázaro Pessoa
13h30 Recital com Gleison Luiz Nascimento e Luna Vitrolira
14h Mesa de Glosa (Zezé Neto, Paulo Barba, Veridiano Lulu, Welisson Serrinha, Denylson Lulu, Aldo Neves e Dió Daniel) Coordenação: Jorge Filó
15h Recital com Nõe de Job e Graça Nascimento
15h30 Recital com Giuseppe Mascena e Clécio Rimas(homenagem a Dedé Monteiro)
16h As Severinas
17h30 Toque Solto
Bar O Artesão (Bar de Diandra)
19h30 Duo Artista, com Helton Moura e Vertin
(Microfone aberto e confraternização poético-musical)
Em mais um aniversário
O Mestre do Trocadilho
Enobrece o calendário
Reforça nosso estribilho
Num janeiro pra dois reis
Nossa Festa desta vez
Chama todo o Pajeú
Pra juntar num só Tesouro
102 Anos de Louro
E 100 de Zezé Lulu!
Fonte 2 : Site http://patativadoassare.com

POETISA GIRLAIDE GALINDO - O MATUTO QUE LUTOU PELO SEU SONHO


FOTO DE DIVULGAÇÃO DA AUTORA

No interior de Pernambuco
Morava um tal de Zezin
Muito bobo e atrapalhado
E com timidez sem fim
Sonhava ser um doutor
Mas por ser do interior
Não era tão fácil assim
O preconceito era imenso
E Zezin sempre chorava
Porque nem sua família
Em seu sonho acreditava
Zezin tão desmantelado
Cansou de ser humilhado
Por quem dele duvidava
Enxugou às suas lágrimas
E partiu pra capital
Foi em busca de seu sonho
Sem levar nenhum real
Viajou foi de carona
Quando a fome veio à tona
Procurou alguém legal
Bem longe viu um senhor
Com cara de ser bonzinho
Aí Zezin saiu correndo
Parou e falou baixinho:
Tô com fome seu doutor
Eu vim do interior
Dá pra mim um trocadinho
E ainda acrescentou,
Vim lutar pelo meu sonho
Aprendi amar o próximo
Mesmo estando tão tristonho
Prometo se me ajudar
Quando um dia me formar
O meu serviço disponho
Abaixou logo a cabeça
Para o senhor responder
Ficou ouvindo calado
O que tinha pra dizer
E perto de todo mundo
Disse que um vagabundo
Merece mais é morrer
Vá trabalhar seu safado
Pare logo de sonhar
Um pobre como você
Não poderá alcançar
Um cargo de importância
Por aqui tem vigilância
Volte para o seu lugar
Zezin ficou bem calado
E saiu quase chorando
Com uma fome terrível
E a tristeza perturbando
Viu seu sonho indo embora
Meu Deus o que faço agora
Lhe perguntou soluçando
Os dias foram passando
Mas Zezin não desistiu
Lutou pelo o que queria
E um emprego conseguiu
O dinheiro que ganhava
Em um cofre ele juntava
Pra gastar pelo Brasil
Trabalhava dia e noite
Trabalhava noite e dia
Entrou para faculdade
De medicina que queria
Mas o pobre de Zezin
Parecia um homem ruim
Pela roupa que vestia
Não entendia de moda
E por ser desajeitado
Causava um grande medo
Em que tava ao seu lado
Além de ser pobre andava
Com saco que carregava
Uns biscoitos enrolado
Não tinha muitos amigos
Mas ele não se importava
Zezin era independente
E ninguém lhe ajudava
Mesmo os outros duvidando
Virava a noite estudando
E nas provas arrasava
Isso causava inveja
Em quem vivia por perto
Ele tinha muita fé
E além disso era esperto
Diante de qualquer cilada
Zezin tinha outra armada
Pra mostrar o que era certo
Era um matuto "sardoso"
Mas não era besta não
Num lindo dia de prova
Teve uma confusão
Pois tentaram enganar
Que ele queria colar
Pela prova de Pedrão
Mas Pedrão era um amigo
Que Zezin já conhecia
Há muitos anos atrás
E disso ninguém sabia
Sempre foi bem prevenido
Na confusão envolvido
Provou que nada devia
Todos professores dele
Insistiam em falar
Que nunca imaginaram
Vê um matuto estudar
Para ele ser doutor
Nem humildade e amor
Poderiam lhe ajudar
Mas Zezin sempre mostrava
Que pensava diferente
Sua riqueza era o amor
E humildade seu presente
Dado por Jesus amado
Para ser sempre levado
No coração e na mente
Assim seguiu estudando
Sofrendo para crescer
Sem nunca desanimar
Fazendo do seu sofrer
Um motivo pra lutar
Quando queria chorar
Orava para vencer
O dia da formatura
Finalmente então chegou
Ele viu de boca aberta
Quem dele só duvidou
Nunca perdeu esperança
Em Deus teve confiança
E por isso se formou
Venceu todo preconceito
Agora vive empregado
Casou, tem uma família
Nem é mais desmantelado
Tem uma grande fazenda
Onde distribui merenda
Para o mais necessitado
Aproveita suas férias
Pra seu povo visitar
Na sua terra é feliz
Insistindo em ajudar
A todos que duvidaram
Quando um dia falaram
Você não vai se formar
Eu contei essa história
Com humilde intenção
De mostrar para você
Que sempre tem solução
Para alcançar seu sonho
Nunca caminhe tristonho
Sem ter fé no coração
Tente agir como Zezin
Sempre de cabeça erguida
Plante no peito esperança
Colha ela pra tua vida
Se você pode sonhar
Também poderá lutar
Desta forma parecida
Obstáculos são muitos
É necessário ter fé
Sem medo encare a vida
Do jeitinho que ela é
Não abaixe a cabeça
Tenha fé, não esmoreça
Ore a Jesus de Nazaré
Autor(a): Girlaide Galindo
Novembro/2016
Alagoinha, Pe


Curta sua Fan Page no Facebook - https://www.facebook.com/GirlaideLili/#

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Poeta Josivan Lima



Se a visse no Céu, diria estrela!
Como Brilha a luz do teu olhar!!!
A certeza inspirou o verbo amar,
Não me canso, nenhum pouco, de vê-la
O difícil mesmo é esquece-la
Seu sorriso é portal de entrada,
Até as lua fica em ciumada
Quando você começa a sorrir
Não és deusa, mas posso admitir
Que pra deusa não falta quase nada

Mote e Glosa: Josivan Lima

Não quero mais ser teu, quando tú quer
Nem quero esmolas dos teus beijos
Eles não matam a fome do desejo
De tronar-te você minha mulher
Não pense que me tens quando quiser
Pois não tem ser humano que aguente
Ser largado, e só tem você presente
Quando estais sofrendo de ilusão
Quanto tempo precisa um coração
Pra sentir se amado eternamente?

Avaliando aqui meus sentimentos
Uma noite é pouco pra quem ama
Sequer dá tempo acender a chama
Muito menos vivermos bons momentos
O que fica depois são pensamentos
Remoendo dentro da minha mente
E chora o coração porque se ente
Atiçado, mas jogado a solidão
Quanto tempo precisa um coração
Pra sentir-se amado eternamente?

Mote e glosa: Josivan Lima

Poetisa Mariana Teles - Poesia A Crise é Nossa Também!

Imagem Fonte Blog da Apoesc

A CRISE É NOSSA TAMBÉM!
(Mariana Teles)
Enquanto o ouro envaidece
Os palácios de metais
Mais de um sonho falece
No leito dos hospitais.
Uma justiça agachada
Seletiva e rebaixada
Além do preço das leis,
Repousa quase sem vida
Numa balança despida
De voz, de verdade e vez.

O Direito é produzido
Nas mãos de um sistema posto
Num congresso dividido
Por fazedor de imposto.
- As cadeiras leiloadas,
- As tribunas ocupadas
Por discursos sem verdade
A ordem sem ter progresso
E a essência do Congresso
Longe da sociedade.
Os fazedores das leis
Representam sem razão
As empreiteiras da vez
Do voto e da eleição.
Licitações desviadas,
Todas direcionadas
Pra garantir eleições
E a máquina pública comprada,
Inerte e aparelhada
Pra compensar "doações".
Nos pleitos sem paridade
A república sofre abuso
Enquanto a sociedade
Não goza o mínimo do uso.
Em cada instituição
Marcas de corrupção,
Descaso com a coisa pública,
O país aparelhado
E o nosso sonho de Estado
Morrendo aos pés da República.
São mais de quinhentos anos
Que o povo é quem paga a conta
Surgem partidos e planos
Mas são problema a ponta,
Cada partido um esquema,
Alimentando o sistema
Escasso de homens sérios,
Dividindo as comissões,
Calando investigações,
Leiloando ministérios.
A reforma de postura
Que o Brasil tanto espera
Só começa se a cultura
Calar a máfia que impera.
Se quem devia falar,
Defender, representar
É quem cala sem motivo,
Com parlamento rachado
Não pode existir Estado
Nem força no executivo.
Se nós somos o congresso
Na casa alta e na baixa,
Há de existir um acesso
Aonde a gente se encaixa.
Nós somos a melhor forma
De começar a reforma
Com eficácia incomum,
Calando qualquer desculpa,
Assumindo a nossa culpa
Pra reformar cada cada um.
Ter consciência que o voto
Não se entrega a candidato
Que passa entregando foto
Com um número no retrato.
Votar com mais competência
E entender que a presidência
Tem erros de todos nós
E em cada um deputado
Dorme um eleitor calado
Pedindo um pouco de voz.
O Brasil não é um trono
De uma corte real
O povo é o único dono
Legitimado por tal.
Cadê nosso brado forte,
Calando a marca do corte
Que a ditadura deixou?
- A crise é nossa também
Mas pouca gente é que vem
Assumindo aonde errou.
Somos a matéria prima
De um Brasil reformado
Vamos superar o clima
De falência do estado!
Recuperar confiança,
Ascender a esperança
Da bandeira cor de anil
Caminhar de um jeito novo
E arrancar d'alma do povo
A voz de um novo Brasil.

Poetisa Rafaela Dantas

Imagem do Facebook

Não pensei que a saudade maltratava

Desse tanto que está me maltratando  
Seja dia ou noite eu vou lembrando  
Toda frase de amor que me falava 
As promessas de amor que me jurava.
Era como um romance de novela.
Mas com o tempo a vida nos revela 
Que a vida não é só alegria"
A saudade não mata mas tem dia
Que só falto morrer por causa dela.".
Mote: Lenelson Piancó Glosa: 
Rafaela Dantas
Eu nem bebo mas hoje até pensei 
Quando se tem saudade vai pro bar? 
Põe as mágoas num copo pra afogar 
Isso ai se é verdade eu já não sei. 
Se a bebida curar eu beberei
Se for pra retornar com alegria
O meu copo de álcool eu encheria,
Mas pergunto será que isso é verdade?"
Se cachaça curasse essa saudade 
Eu tomava era um litro todo dia"
Mote: Wellington Marques 
Glosa: Rafaela Dantas
Ao chegar conquistou meu coração 
Num abraço me fez sentir segura 
Esqueci os meus dias de amargura  
E deixei para trás a solidão 
No momento que me estendeu a mão 
E tão suave teu corpo em mim tocou
A tristeza no passado ficou 
E os pedaços quebrados se refez
Encontrei um abraço que me fez
Esquecer que você já me abraçou.
-Rafaela Dantas
Eu desejo que siga a sua vida 
Que a minha a tempos tô seguindo 
Para uma vida nova estou partindo 
E não pretendo te ver na despedida. 
Estou feliz e na hora da partida,
Vou deixar para trás tudo que fiz 
Cada plano traçado eu já desfiz
Pois não quero tristeza do meu lado "
Eu deixei nossa história no passado
Pra tornar meu futuro mais feliz".
Mote: Kamilla Leite 
Glosa: Rafaela Dantas
Você foi me deixou aqui sozinha 
Nem se quer me avisou, já tava indo  
E aos poucos de mim foi se saindo 
E assim bagunçando a vida minha, 
Acabou com os sonhos que eu já tinha
Foi pra ti, passageira essa paixão.
Hoje em mim só resta a recordação
Mas, aos poucos você vai me perdendo
"Quem partiu por partir, partiu sabendo
Que partindo partiu meu coração".
Mote: Natan Medeiros 
Glosa: Rafaela Dantas
Todo amor que eu tinha eu te dei 
Hoje aqui eu te peço por favor  
Que você me devolva meu amor, 
Pois nos dois no passado eu já deixei 
E de hoje em diante eu seguirei.
Cuidarei pra que sare essa ferida,
Apagar a lembrança e na saída 
Lutarei pra que tudo se resolva
"E o amor que lhe dei você devolva 
Que eu preciso seguir com minha vida".
Mote: Dudu Morais 
Glosa: Rafaela Dantas
Eu te amei como nunca amei alguém  
E você fez de mim, só um brinquedo 
Teve fim nossa história e o enredo 
Não foi bom mas, pra mim tá tudo bem 
Eu sei bem que de mim lembras também 
Vou dormi e amanha quando acordar
Quero tudo da mente deletar
E pra sempre você vai me perder
"Só agora que eu pude perceber
Que amei que de mim, só fez gostar"

.Mote: Wellington Marques 

Glosa: Rafaela Dantas 

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

POEMA “PONTOS DE VISTA”


POEMA “PONTOS DE VISTA”
AUTOR: POETA VINICIUS GREGÓRIO
DUAS DISTINTAS SENHORAS
ENCONTRARAM-SE CERTO DIA
E COMO SEMPRE ESSAS HORAS
SÃO DE BASTANTE ALEGRIA
LEMBRARAM TEMPOS VIVIDOS
FALARAM DOS CONHECIDOS
E O FUXICO SEMPRE JUNTO
FOI MAIS DE HORA FALANDO
PORQUE MULHER CONVERSANDO
Ô BICHIM PRA TER ASSUNTO

PAPO ÍA E PAPO VINHA
UMA DELA SE LEMBORU
DOS FILHOS QUE OUTRA TINHA
FOI ENTÃO QUE PERGUNTOU
CUMADRE EU LEMBREI AGORA
DOS DOIS FILHOS DA SENHORA
DOS PASSARINHOS DO SEU NINHO
CHEIOS DE BELEZA E BRILHOS
COMO É QUE ESTÃO SEUS FILHOS?
A ANA E O FERNANDINHO
E A RESPOSTA ASSIM FOI DADA
A ANA MINHA FILHINHA
CASOU E TÁ BEM CASADA
LEVA VIDA DE RAINHA
SEU MARIDO ACORDA CEDO
E SAI DA CAMA EM SEGREDO
PISANDO EM PASSOS MANSINHOS
ENQUANTO ELA TÁ DEITADA
VAI TROCAR FRAUDA CAGADA
DOS MEUS TRES LINDOS NETINHOS
DEPOIS DISSO VAI CORRENDO
FAZER UM CAFÉ BONITO
SÓ MESMO A SENHORA VENDO
QUE GENRINHO TÃO BEM DITO
ARRUMA A CASA TODINHA
LAVA A LOUÇA DA COZINHA
E LEVA O LIXO PRA FORA
PENSE NUM HOMEM PRENDADO
JÁ TÁ TÃO ACOSTUMADO
QUE FAZ ISSO EM UMA HORA
DEPOIS É QUE SE ARRUMA
PRA PODER IR TRABALHAR
SEM FAZER ZUADA ALGUMA
PRA ANA NÃO ACORDAR
VAI MAIS VOLTA PRO ALMOÇO
FAZ TUDO SEM ALVOROÇO
FAZ TUDO E DE NADA ESQUECE
A ANHINHA É MUITO AMADA
NEM PRECISA DE EMPREGADA
MINHA FILHINHA MERECE
A OUTRA CUMADRE ENTÃO
FICOU TODA ABESTALHADA
PENSOU QUE HOMEM TÃO SÃO
QUE MULHER TÃO BEM CASADA
MAS VOLTOU A PERGUNTAR
E O MENINO VAI CASAR?
OU TAMBÉM JÁ TÁ CASADO?
A PERGUNTA ASSIM SE FEZ
A OUTRA CUMADRE DESSA VEZ
RESPONDEU EM TOM PESADO
O MENINO SE CASOU
CASOU, MAS FOI MAL CASADO
A MULHER QUE ELE ARRUMOU
NÃO FAZ NADA PRO COITADO
ELE TEM QUE ACORDAR CEDO
E LEVANTAR EM SEGREDO
PISANDO EM PASSOS MANSINHOS
ENQUANTO ELA TÁ DEITADA
TROCA FRAUDA CAGADA
DOS OUTROS MEUS TRES NETINHOS
DEPOIS DISSO VAI CORRENDO
FAZER CAFÉ PRA BONITA
SÓ MESMO A SENHORA VENDO
QUE COISA MAIS ESQUESITA
LAVA A LOUÇA DA COZINHA
ARRUMA A CASA TODINHA
E LEVA OLIXO PRA FORA
O BICHIM TÁ TÃO CANÇADO
ELE É FEITO DE EMPREGADO
E A MULHER AINDA LHE EXPLORA
DEPOIS ELE AINDA SE ARRUMA
PRA PODER IR TRABALHAR
SEM FAZER ZUADA ALGUMA
PRA QUENGA NÃO ACORDAR
VAI MAIS VOLTA PRO ALMOÇO
SUA VIDA É UM ALVOROÇO
E A MULHER MAL AGRADECE
Ô QUE HOMEM MAL AMADO
ELE É FEITO DE EMPREGADO
MEU FILHINHO NÃO MERECE
É TUDO MUITO ENGRAÇADO
MAS É MESMO DESSE JEITO
POIS SOGRA É BICHO DANADO
E MÃE É BICHO PERFEITO
CADA UM DEFENDE O SEU
E NESSE CASO ASSIM SE DEU
E UMA CONCLUSÃO SE LOGRA
DESSA HISTORIA REALISTA
QUE TUDO É PONTO DE VISTA
MÃE É MÃE E SOGRA É SOGRA