Blog Sertão Poeta, Anuncie!

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Só a natureza ensina, Tudo isso e muito mais

Só ela tem o poder
De ensinar sem mensagem
O castor fazer barragem
Depois do riacho encher
O papagaio saber
Falar usando as vogais
E ticaca os animais
Atacar com a urina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

O bote da sucuri
Imobiliza a pessoa
Pato atravessa a lagoa
Sem precisar jet ski
O pequeno colibri
Voa pra diante e pra trás
E pras dores estomacais
O sagüi comer rizina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

O pavão pra desfilar
Não faz dieta e nem lípo
E o pica-pau sabe o tipo
Do pau que pode cortar
Entrar na água e pescar
Só o socó é capaz
E o mel que a abelha faz
É melhor que mel de usina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

Procurando melancia
A raposa encontra a rama
E a porca prepara a cama
Na noite que vai dar cria
Todo macaco assovia
Se pendura e faz sinais
E a flauta dos sabias
Ninguém ver quem é que afina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

O rato mora no teto
O peba cava buraco
Capote diz que esta fraco
E preguiça dorme direto
João de barro é arquiteto
Das construções naturais
Sem comprar matériais
Começa a casa e termina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

O cachorro não revida
O ataque das caiporas
O jumento das as horas
E a burra nunca engravida
Sem nunca tomar na vida
Anticoncepcionais
E pras crises pré-menstruais
O organismo elimina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

O gato fica valente
Quando ver o vira lata
E o escorpião se mata
Quando ver fogo na frente
O grilo trila e não sente
Dores nas cordas vocais
O urubu come quem jaz
Sem nojo da fedentina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

Destruindo as plantações
Os insetos são famintos
E a galinha esconde os pintos
Com medo dos gaviões
Os tigres e os leões
No safári são rivais
E cururu evita o caís
Porque no mar tem salina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

Mesmo sem ser refletor
No vaga-lume a luz sobra
Boa de briga é a cobra
Acrobata é o condor
A perdiz fica da cor
Das folhas dos vegetais
Temendo os tiros mortais
Do cano da lazarina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

Perigosa é a hiena
Por ser covarde e cruel
O tejo mata cascavel
Brigando e não se envenena
A barata tem antena
E não sintoniza canais
E quem foi que disse aos pardais
Que as frutas têm vitaminas
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

A natura faz escolha
E ensina tudo sem magoa
Peixe mergulhar na água
Que chega a água faz bolha
No canto aonde tem folha
Formiga corre atrás
Avestruz correr demais
E não consumir gasolina
Só a natureza ensina
Tudo isso e muito mais.

Autor: Raimundo Nonato e Nonato Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário