Blog Sertão Poeta, Anuncie!

segunda-feira, 31 de março de 2014

A saudade é um moinho que moi o peito da gente

Saudade não se desgasta 
Por mais que o tempo passe 
É na ausência que nasce 
Causando uma dor nefasta 
Quando quem gosta se afasta 
É qu’ela se faz presente 
Entra no peito carente 
Pra nele fazer seu ninho 
A SAUDADE É UM MOINHO 
QUE MOI O PEITO DA GENTE.

A saudade causa efeito 
Danoso a qualquer pessoa 
Quem guarda lembrança boa 
Sente a mesma, não tem jeito, 
Quando ele invade o peito 
Não há ninguém resistente 
Nem duro o suficiente 
Pra não sofrer um pouquinho 
A SAUDADE É UM MOINHO 
QUE MOI O PEITO DA GENTE.

Valdenor de Almeida – 07/06/2013 
Mote de: Mônica Barbosa
Fonte: Blog Poeta Leo Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário