Blog Sertão Poeta, Anuncie!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

VERSOS CONFERENCIA MUNICIPAL DA MULHER EM SÃO JOSÉ DO BELMONTE-PE

 I                                                                                 VII
Peço ao Senhor Jesus                                                Vamos Lutar por Saúde
Muita paz e inteligência                                            Que tenha boa qualidade
Me ilumine com sua luz                                             Lute com força e atitude
Baixe em mim sua ciência                                         Coragem e dignidade
Mesmo não sendo poeta                                            Previdência Social Justa
Quero cumprir minha meta                                        E Educação nada custa
Dentro dessa Conferência.                                        É dever da autoridade.
            II                                                                                VIII
Em São José do Belmonte                                        Se organize no Sindicato
Terra de gente do bem                                              Ou na sua comunidade
Abriu-se um novo horizonte                                     O Momento é exato
Como uma luz no além                                             Eu lhe digo de verdade
Eu já estou percebendo                                             Uma vara sozinha é fraca
Só quem é cego não ta vendo                                    Duas ou mais você se atraca
A força que a Mulher tem.                                        E tem mais dificuldade.
            III                                                                              IX
Infelizmente o machismo                                         Somente organizadas            
Ainda é predominante                                              E sem medo de lutar
O preconceito, o racismo                                         Manter-se bem informadas
A violência incessante                                             Não se deixando enganar
Derramando sangue e pranto                                   Igual Maria da Penha
No país de canto a canto                                          E a Margarida, que Deus á tenha
Isso é repugnante.                                                    Ela está num bom lugar.
            IV                                                                              X
Até dentro da nossa casa                                          Seja a Mulher urbana
Tem cenas de preconceito                                         Ou seja a Mulher rural
O filho sai,bebe e arasa                                             O momento é quem nos chama
E o pai bate no peito                                                 A questão é cultural
E diz cheio de estilo:                                                 se é assim desde o princípio
Lá em casa eu tenho um filho                                   Mais a  partir do seu Município
Que é um macho perfeito.                                         Combata este grande mal.
            V                                                                               XI
No trabalho lá na roça                                              Quando será que o mundo
O grupo familiar                                                       Muda de opinião?
Morando numa palhoça                                           Sinto um desgosto profundo                                    
Num sofrimento de “lascar”                                    Com essa situação                                                    
Então o pai diz: primeiro                                         Mais com essa Conferência
Eu recebo o dinheiro                                                E Dilma na Presidência
Que eu sei como gastar.                                           Melhora essa questão.
            VI                                                                              XII
Está mais do que na hora                                          Eu vou parar por aquí                                   
De tomarmos providências                                       Me desculpe se fui mal
Vamos fazer sem demora                                         Quem gostou pode aplaudir
Palestras e Conferências                                           Este trabalhador rural
Vamos ocupar espaços                                             Se não gostou fique calado
Marchando a largos passos                                       Á vocês muito obrigado
E fazendo exigências.                                                Abraços,Axé  e Tchau.

São José do Belmonte, dezembro de 2015-Autor - Josué Moreno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário