Blog Sertão Poeta, Anuncie!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Cordel Sobre o Mormo - Doença Infectocontagiosa

Imagem da Net

Infectocontagiosa
E quase sempre letal
Doença do MORMO faz
Um estrago no curral
Piogranulomatosa
É doença poderosa
Na maioria fatal

Como sinal principal
Que ele já adoece
São úlceras ou linfangite
Perda de peso acontece
Com diarreia, edemas.
Que podem ser mais extremas
A febre alta aparece

A bactéria merece
Ser sempre mais estudada
Como catarro de burro
No Pernambuco é chamada
Aos equinos vem matando
Cura não vem encontrando
E esta sendo espalhada

É caracterizada
Por lesões respiratórias
Também por lesões linfáticas
Cutâneas inflamatórias
Podem ser agudas, crônicas.
De forma a ser anacrônicas
No decorrer das histórias

O MORMO tem trajetórias
Logo na Primeira Guerra
Dizem que foi maior surto
Da doença e não encerra
Desta terra da Europa
O MORMO matou a tropa
De equinos desta terra

Ainda durante a Guerra
Também foi analisado
Que a bactéria foi
Usada neste passado
Quatro países na lógica
Como arma biológica
Contra equinos tem usado

 MORMO é considerado
Endêmico neste Nordeste
Em quase todos estados
É alarmante esta peste
Os casos só têm subido
É o que tem percebido
Isto vem sendo inconteste

 Para que o MORMO empeste
Tem dado atribuição
Aos animais para esportes
Em grande circulação
Animais neste momento
Para o entretenimento
E para reprodução

O meio de infecção
Principal é digestiva
Por comer contaminados
Água pode ser passiva
Via cutânea acontece
Respiratória aparece
De forma bem corrosiva

Sendo bastante agressiva
Por secreções é mantida
A fonte de infecções
Que no pasto é inserida
Contamina os vegetais
O ar, a água os locais.
E por lá é ingerida

Trata-se tirando a vida
Já que não tem tratamento
É necessário com calma
Limpar todo equipamento
Desinfetar o local
Com o produto ideal
Para não ressurgimento

E para deslocamento
Dos animais indo embora
O controle é rigoroso
Buscando esta melhora
Para mudar este estado
E não ter infectado
Levando o MORMO lá fora

Analisando isto agora
Sobre casos em humanos
No século 20 já teve
Falo isso sem enganos
Levando vários a morte
E para mudar a sorte
Já esta mudando os planos

 Esta mudança de planos
É porque querem fazer
Vacina para humanos
Já tentam desenvolver
Para regiões endêmicas
E em fazes epidêmicas
Nenhum humano morrer.

Autor: José Nilton (Poeta Divino)
De São José do Egito - PE
Pagina do Poeta no Facebook: https://www.facebook.com/josenilton.soaressilva?fref=ts



Nenhum comentário:

Postar um comentário