Blog Sertão Poeta, Anuncie!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

GRITO DE DEUS

A CASCATA NÃO CANTA IGUAL À GENTE
MAS CHUVENDO ELA VIRA UIRAPURU
E O PEDAÇO DE PAU DE MULUNGU
DE CARONA VIAJA NA ENCHENTE
A BORRACHA DA CHUVA LENTAMENTE
SOBRE AS PÁGINAS DO CHÃO VAI SE ESFREGANDO
POR CAPRICHO, ONDE PASSA É APAGANDO
A HISTÓRIA QUE A SECA HAVIA ESCRITO
QUANDO OUÇO O TROVÃO NO INFINITO
IMAGINO SER DEUS QUE ESTÁ GRITANDO.

SEM CANETA O RELÂMPAGO FAZ UM “S”
LUMINOSO E NO MESMO INSTANTE APAGA
O CACHIMBO DA SERRA QUANDO “TRAGA”
DE MANHÃ, DE REPENTE A CHUVA DESCE
O TROVÃO QUANDO ESTRONDA ATÉ PARECE
QUE UM PEDAÇO DO CÉU VEM DESPENCANDO
VÁRIAS TORRES DE VÉU VÃO SE FORMANDO
PARECENDO AS PIRÂMIDES DO EGITO
QUANDO OUÇO O TROVÃO NO INFINITO
IMAGINO SER DEUS QUE ESTÁ GRITANDO.

ZÉ ADALBERTO – 18/01/2012.
Enviado por Lucivania Bernardo – Itapetim-PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário