Blog Sertão Poeta, Anuncie!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

MULHER TU ÉS A CULPADA, DOS TOMBOS QUE DOU NA VIDA

Por você vivo perdido
Na maior desilusão
Quem sofre é meu coração
Que não é correspondido
Já vive bem distraído
Por você minha querida
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida
****
Saio pra te procurar
Em algum lugar qualquer
Me diga logo o que quer
Que eu ainda não sei
Por você eu matarei
Quem aqui não é nascida
Embora viva perdida
Suja e desmantelada
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida
****
Por você fico bebendo
Em algum bar da cidade
Sentindo apenas saudade
Já estou quase morrendo
Me encontro me perdendo
Vendo você distraída
Eu te chamo de querida
E sinto uma dor danada
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida
****

Por você fico bebendo
Em algum bar da cidade
Sentindo apenas saudade
Já estou quase morrendo
Me encontro me perdendo
Vendo você distraída
Eu te chamo de querida
E sinto uma dor danada
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida
****
Eu me lembro de você
Saio pra te procurar
Procuro em todo lugar
E não consigo entender
Como é que posso querer
Você que é mal-ouvida
Com a outra és parecida
Mas tu que és amada
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida
****
Já tentei te esquecer
Pena que não consegui
Pessoa linda não vi
Que fosse como você
Estou aqui a sofrer
Você diz que e iludida
Eu procuro uma saída
Pra te deixar conformada
Mulher tu és a culpada
Dos tombos que dou na vida

Tonny Vaqueiro de Lagoa de Outra Banda São josé do Egito

Nenhum comentário:

Postar um comentário