Blog Sertão Poeta, Anuncie!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

O tempo dá, depois leva, Não devolve nunca mais.



Lembro dos meus vinte anos
No verdor da mocidade
Gozava a felicidade
De nada fazia planos;
Juntamente com meus manos
Eu dava saltos mortais
Hoje nos meus castiçais
Invés de luz vejo treva
O tempo dá, depois leva
Não devolve nunca mais.

Mote: Aloísio Lopes
Glosa: Léo Medeiros
Sobral, 03/10/2011.
Fonte: Blog de Leo Medeiros

Um comentário:

  1. Um dia já fui casado,
    Mesmo assim apaixonei
    Por uma bela galega,
    E o casamento acabei.
    Me juntei logo com ela,
    Pensei em ser feliz demais!
    Mas o tempo dá, depois leva,
    Não devolve nunca mais.

    Edmundo de Souza.

    ResponderExcluir